segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Um Ano de Separação!!!

Ao mesmo tempo que passou rápido, foi um ano bem intenso, cheio de acontecimentos.
As vezes parece que foi ontem, mas as vezes parece que faz muito tempo. É bem contraditório isso, mas é o que eu sinto.
Posso afirmar, com muita convicção, que separar não é fácil. Dói, você se machuca, o outro também. Não é fácil dizer para o outro que você não quer mais ficar junto. E depois, ter que manter-se firme, para não ligar, não correr atrás. Além de mudar totalmente a sua rotina.
Na época, não sabia se gostava dele ou não. Eu achava que não. Porém, hoje posso dizer que sim. Eu ainda amava o Eduardo. Mas, descobri, que em primeiro lugar, antes de amar qualquer pessoa, eu me amo acima de tudo.
Foi por esse motivo que me separei, só que na época eu não sabia explicar. Hoje, um ano depois, eu amadureci para entender isso. Já o esqueci, hoje sinto apenas carinho-é preferível não lembrar das atrocidades que ele falava, para não ficar com raiva, quero lembrar apenas das coias boas, já que a raiva é um sentimento muito ruim e que não leva a nada.
Não foi fácil, mas consegui! Consegui também porque tive muito apoio dos meus amigos e da minha família. Não sei como seria sem eles.
E descobri que a liberdade é uma das melhores coisas do mundo e é algo que não tem preço, dinheiro algum pode comprar.
Na vida, há perdas e ganhos, não tem jeito. Perdi a oportunidade de constituir uma família, de ter uma vida financeira estável. Perdi alguns amigos-será que eram amigos mesmo? Amigo que é amigo não some e nem te exclui de orkut.
Mas em troca, veio a liberdade, a leveza, a vontade de viver, a responsabilidade de viver e se virar sozinha. E hoje, posso afirmar: eu consegui! Passei por alguns perrengues, mas consegui. Não sou apenas aquela "vendedora" de shopping, vazia e incompetente, como dizia o próprio Eduardo. Sou muito mais do que isso. Sou feliz. E me amo, acima de tudo. Consegui me virar em São Paulo, tenho as minhas coisas e tenho meus amigos, que me apóiam e me amam.
Não tenho sede de vingança, nada. Apenas queria extravasar meu sentimento.
Ah, se alguém que ler isto for amigo ou parente dele e tem raiva de mim, tudo bem. Pelo menos fui sincera, já que eu poderia ter sido "filha da puta" e pedido pensão!
Bjs meus queridos, boa semana!!!!

Um comentário:

eduardo disse...

Peço licença para postar meu humilde comentário já que fiz parte desta história, pode parecer que fico investigando a vida alheia pelo computador, mas não é bem assim, cheguei de férias hoje 25/08 e já tinha um bilhetinho na minha mesa, de algum engraçadinho dizendo “olhe o site de sua ex...” as pessoas as vezes podem ser cruéis e nem imaginam que estão sendo. E também como não tenho dinheiro para pagar terapia, vou fazendo com os amigos, família e até no blog da ex, mas ela pode apagar se quiser. rs rs rs
Realmente um ano se passou... me lembro como se fosse ontem, ser chutado não é fácil e perceber amigos seus deixando de falar com você, sem nem saber porque complica mais as coisas, mas como já escrito anteriormente família e amigos existem e é nessa hora que você realmente percebe o valor ( sei lá se um dia conseguirei retribuir a ajuda, espero que consiga ). Não dá para descrever quão intenso foi a transição de estar acostumado a pensar sempre por dois e voltar a pensar apenas por vc mesmo, a liberdade realmente é fantástica, poderia ter sido de outro jeito? talvez sim, mas isso eu falo agora um ano depois, olhando de fora para o acontecido. Quando você está dentro de um relacionamento e ele está doente é muito difícil tentar resolver objetivamente e racionalmente a situação, Sei que no dia em que a Carolina veio para casa e falou “vou terminar com você”, pela primeira vez em todo nosso namoro vi-senti que ela realmente tinha tomado uma decisão. Esperei tanto essa decisão assertiva em outros momentos e para outras coisas, mas ela veio desse jeito e é engraçado eu falar isso mas acho que a decisão foi certa. Hoje penso que nós dois estamos muito melhores do que naquela época, quanto as atrocidades que ambos sofremos, reconheço minha parte da culpa nisso e espero ter aprendido que quando as coisas não vão bem, devemos parar. Continuar e insistir e tentar mudar a outra pessoa é uma estrada que só desce e sempre para pior. Bom chega de escrever afinal esse espaço nem é meu, ah só mais uma coisa, em relação às pessoas que lerem, tanto amigos ou família, peço que não fiquem com raiva de ninguém, as únicas pessoas que ainda podem ficar com raiva somos nós, que vivemos essa história, e como a Carol mesmo escreveu raiva não leva a lugar algum. Eu tive meus momentos de raiva, passei por alguns perrengues e cometi várias pataquadas também nesse período, como por exemplo doar/dar todas as coisas do nosso apartamento acreditando que a “energia” dele era ruim, outra pataquada ficar duas semanas em casa, no apartamento e em Piçarras juntando tudo que eu tinha relacionado ao nosso namoro e jogar fora, e na semana seguinte me arrepender e querer as coisas de volta, pedir ao lixeiro se é possível e ouvir “ Tu é louco mano ?!?!?!” e outras impublicáveis. Fico muito feliz em ler que os amigos e a família são importantes e ainda que devemos nos amar, antes de amar os outros, concordo em número gênero e grau. Sei que não consegui demonstrar isso, mas minha intenção era essa, só que a prática é bem diferente da teoria e simplesmente não rolava. Quem lucrará com isso ? Com certeza nossos novos relacionamentos encontrarão pessoas muito mais maduras e objetivas com relação ao que esperar de um relacionamento e nós mesmos que crescemos muito nesse processo tornando-nos pessoas melhores.
Desejo sinceramente do fundo do meu coração tudo de bom a você.

Sail on silver girl. Sail on by.
Your time has come to shine !
All your dreams are on their way.
See how they shine ohhhh and if you need a friend.
I´m sailing right behind.

Bridge Over Trouble Water
Simon & Garfunkel